Home

motivo_36_/ POR UMA CIDADE LIVRE DA HOMOFOBIA_/

Para não criar atritos com sua base de sustentação, Eduardo Paes abraça figuras como Silas Malafaia e recua na defesa de nossos direitos.
Voto em Marcelo Freixo por uma cidade livre da homofobia.
Nos últimos anos, assistimos à multiplicação de casos de humilhações, agressões e até mesmo assassinatos de milhares de gays, lésbicas, bissexuais, travestis, transsexuais e, inclusive, heterossexuais provocados pela homofobia. Esse número crescente dialoga com a postura de diversos setores religiosos fundamentalistas, que encontram no discurso homofóbico uma oportunidade fácil de ganhar dinheiro e votos.
Na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, o fundamentalismo religioso e excrescências políticas como o vereador Carlos Bolsonaro (filho do famoso Jair Bolsonaro) apresentam projetos que prejudicam a garantia da dignidade da pessoa humana e do combate ao preconceito.
Carlos Bolsonaro, por exemplo, apresentou ano passado um projeto que vedava o desenvolvimento de projetos de conscientização e divulgação dos direitos de LGBTs dentro de Escolas Municipais.
Eduardo Paes diz combater a homofobia, mas para se eleger e para não criar atritos com sua base de sustentação parlamentar, abraça figuras como Silas Malafaia e recua na defesa dos nossos direitos.
Nas poucas ações de combate a homofobia e de garantia da cidadania LGBT, vimos uma prefeitura preocupada apenas com “turismo e o mercado gay” e não em, efetivamente, garantir os direitos de toda a comunidade LGBT. Isso explica porque mais de 85% das ações desse tipo, por parte da prefeitura se concentram entre regiões nobres da cidade, como se apenas existissem gays nessa parte do Rio.
Por isso tudo, voto em Marcelo Freixo: por uma cidade livre da homofobia.
JOÃO PEDRO ACCIOLY TEIXEIRA É ESTUDANTE DE DIREITO DA UERJ, EX-DIRETOR DO GRÊMIO DO COLÉGIO PEDRO II E MEMBRO DO FÓRUM ESTADUAL EM DEFESA DA ESCOLA PÚBLICA-RJ.