Home

motivo_34_/ PELA ÚLTIMA CHANCE DE RESGATAR O RIO_/

Sou anarquista, mas admiro visionários, que vão além do interesse pessoal. Temos a chance de tirar o Rio da mão dessa quadrilha.
Certa vez, descurti de política. Fui presidente de grêmio no colégio, sou filho de uma professora de história que quase sifu na ditadura e participou dos quadros de fundação de um certo partido de trabalhadores. Votei no Lula na primeira vez, anulei na segunda e dei um voto de confiança na Dilma, vá lá… Hoje em dia, penso de forma apartidária: acredito em pessoas e não em partidos (pela própria etimologia do nome). Mas de tudo isso eu guardo uma grande e inestimável lição, que me levou a dar mais um voto de confiança na atitude política, mais que na politicagem em si.
Um de meus conhecidos das festas do PT, alguns anos mais velho que eu e professor de História na época, disse que estava dando aula de história no presídio Edgar Costa (que já achei atípico, porém heróico) e me perguntou se eu não teria vontade de assistir, ao que eu respondi que sim.
Sala lotada de presidiários recém saídos de suas celas, apresentações feitas, o professor pergunta assim:
– Vocês sabem por que vocês estão aqui?
Ao que os detentos responderam, um a cada vez:
– 12!
– 16!
– 157!
– 171!
E então o professor responde:
– Estes são os artigos pelo qual vocês foram condenados, mas o que os levou a isso? Para, em seguida, enveredar pela História do Brasil, explicar sobre oligarquias, formação do povo Brasileiro, escravidão, para aquela massa de homens brutalizada e esquecida naquele lugar fétido e que não é feito para recuperar ninguém.
Este professor se chama Marcelo Freixo e, de uma vez por todas – e cada vez mais esta “pequena atitude” me fez ter novamente esperança em política, educação, discurso, coerência e postura. Eu tinha apenas 18 anos e, 21 anos depois, a cada vez que o encontro NUNCA vi sua postura, olhar, ideais mudarem.
Cada um tire sua própria conclusão do que escrevo aqui. Sou anarquista em princípio, mas respeito e admiro muito pessoas que são coerentes, corajosas e visionárias com suas intenções, que vão além do interesse pessoal, carreira ou $ e por isso acredito que temos uma última chance de resgatar o Rio da mão dessa quadrilha que aí está.
ANDRÉ AMARAL SILVA É DJ E CICLOATIVISTA.