Home

motivo_19_/ PELA CORAGEM_/

A missão de Freixo pode parecer quixotesca, mas ele não está só. Pelo contrário, está cada vez mais bem acompanhado, e é isso o que tanto assusta.
Para quem tem como ofício tentar decifrar e traduzir os meandros da ficção, esse Marcelo Freixo da vida real me soa um personagem e tanto. Se o Capitão Nascimento surgiu conquistando o voto de confiança das plateias como o super-herói sem capa que “limpava” a cidade ignorando o estado de direito, o tal Deputado Fraga desafiou os manuais do bom senso. Que imaginação fértil a do roteirista que pressupôs que um político pudesse bater de frente contra a corrupção entranhada em todas as esferas do poder público e sobreviver a isso! O próximo capítulo ainda está por ser escrito – pelo menos fora das telas.
A ficção geralmente reduz a complexidade do tema em prol da facilidade de entendimento e identificação por parte das plateias. Na vida real, cabe a nós evitarmos o papel de espectadores passivos desta postura maniqueísta que vem tentando desqualificar o debate, reduzindo Marcelo Freixo e seus eleitores a rótulos generalizantes e preconceituosos. A missão de Freixo pode parecer quixotesca, mas ele não está só. Pelo contrário, ele está cada vez mais bem acompanhado, e é isso que tanto assusta aqueles que não acreditam que o Rio possa se transformar através de uma nova e corajosa postura política.
MARCELO JANOT É JORNALISTA E CRÍTICO DE CINEMA.