Home

motivo_03_/ PELA LUCIDEZ_/

Ele desnuda o projeto econômico em curso. A cidade Photoshop que está por vir fará bicleta do Itaú, árvore do Bradesco parecerem brincadeirinha de marketing do passado.
Admiro profundamente a lucidez com que Freixo desnuda o projeto econômico de cidade que está em curso e mostra o jogo pesado de interesses econômicos que vem impondo um paradigma de cidade não compactuado por seus cidadãos.
Estamos assistindo, no dia a dia, nossa cidade ser leiloada, fatiada, negociada, asseptizada, afastada a população mais pobre de nossos olhos, tudo para atender aos poderosos interesses econômicos e políticos do capital.
Não é à toa que Eduardo Paes tem a campanha mais cara do Brasil. Ela joga em todos os planos, mas, sobretudo, com os instrumentos da indústria cultural. Ela sabe o quanto é importante amalgamar valores, manipular desejos e necessidades a serviço de interesses. Usa o tempo eleitoral e ainda invade os nossos lares nos momentos de alto Ibope. Diariamente gesta-se aos nossos olhos, pela mídia, um Rio Photoshop, onde não há necessidade de emoção verdadeira. Basta estar aderido. Anestesiado. Patrocinado. A cidade Photoshop que está por vir neste projeto fará a bicletinha do Itaú e árvore do Bradesco parecerem brincadeirinhas de marketing infantil do passado.
Freixo dicotomiza com este sinistro projeto e apresenta o dele: uma cidade “para” e “com” o cidadão. Simples assim. Invertido assim. Pelo avesso assim. Carioca assim. Com os pés do povo no chão da cidade e os seus dedos apontando os caminhos. Suas competentes propostas para as questões do Rio adquirem na sua voz, musculatura, energia, ousadia e brilho solar. Simplesmente porque são costuradas por um eixo inegociável: o resgate da dignidade da política, a devolução do elo do pertencimento do cidadão à sua cidade. E os jovens sentem isso. Intuem no ar algo novo. E apostam nele.
A cidade que Freixo nos fala deixa para trás o limbo em que jazia a política, esquecida e maltratada e nos move para o plano de uma utopia possível. Ele nos ensina, sem catequeses, que quem não se deixa guiar pela utopia está condenado à irrelevância, irrelevância esta, claramente manifestada nos discursos dos demais adversários do atual prefeito. Só existe Freixo como opositor na arena política do Rio de Janeiro. E eu, já escolhi meu campo. Fico ao lado da lucidez e de uma utopia de cidade para e com os seus cidadãos. Voto na lucidez. Voto em Freixo.
ANGELA GANEM FAZ PESQUISAS E ESCREVE SOBRE AS RELAÇÕES INTERDISCIPLINARES DA ECONOMIA COM A FILOSOFIA E A CULTURA.